Arquivos Brasileiros de Cardiologia

Português | Inglês





Pressione Enter para iniciar a Busca.





Volume 110, Nº 2, Fevereiro 2018

   

DOI: http://www.dx.doi.org/10.5935/abc.20180020

ARTIGO ORIGINAL

Correlação entre a Variabilidade da Pressão Arterial de Muito Curto Prazo e Curto Prazo em Indivíduos Diabéticos-Hipertensos e Saudáveis

Karina R. Casali

Beatriz D. Schaan

Nicola Montano

Daniela Massierer

Flávio M.F. Neto

Gabriela H. Teló

Priscila S. Ledur

Marilia Reinheimer

Graciele Sbruzzi

Miguel Gus



Figura 2 – Resposta autonômica à manobra de manobra de ortostatismo ativo, conforme avaliado por índices delta: Delta VFC (variabilidade da frequência cardíaca), delta LF/HF (baixa frequência/alta frequência) e delta de LF da variabilidade da pressão arterial (LF_VPA), calculado a partir da variabilidade da FC, índice de LF/HF e componente de LF da VPA, respectivamente. Diagramas de caixa (mediana, 25% e 75% de intervalos interquartis) mostrando comparação entre os grupos controles (C, barras verdes) e hipertensos-diabéticos (DH, barras azuis). * p < 0,001 e ** p = 0,009 vs. C, teste U de Mann-Whitney.





Resumo

Fundamento: A variabilidade da pressão arterial (PA) pode ser avaliada por meio da monitorização ambulatorial da PA em 24 horas (MAPA-24h), mas sua concordância com os resultados da medição da PA digital (MPAD) ainda não foi estabelecida.

Objetivo: O objetivo deste estudo foi comparar os parâmetros da variabilidade a curto prazo (MAPA-24h) com a variabilidade da PA a muito curto prazo (MPAD) em sujeitos saudáveis (C) e diabéticos-hipertensos (DH).

Métodos: Estudo transversal com 51 sujeitos DH e 12 sujeitos C que se submeteram a MAPA-24h [extraindo time rate, desvio padrão (SD) e coeficiente de variação (CV)] e registro batimento-a-batimento em repouso e após manobra de manobra de ortostatismo ativo [MPAD, extraindo parâmetros de variabilidade da PA e da frequência cardíaca (FC) no domínio da frequência, análise espectral por modelagem autoregressiva]. O coeficiente de correlação de postos de Spearman foi utilizado para correlacionar os parâmetros de variabilidade de PA e FC obtidos tanto da MPAD quanto da MAPA-24h (dividida em dia, noite e total). A significância estatística foi estabelecida em p < 0.05.

Resultados: Houve uma variação circadiana dos níveis de PA nos grupos C e DH; A PA sistólica e a taxa de tempo foram maiores em indivíduos DH em todos os períodos avaliados. Em indivíduos C, foram apresentadas altas correlações positivas entre o índice de taxa de tempo (MAPA-24h) e o componente de baixa frequência (LF, do inglês low frequency) da variabilidade de curto prazo (MPAD, total, R = 0,591, p = 0,043); desvio padrão (MAPA-24h) com o componente de LF VPA (MPAD, total, R = 0,608, p = 0,036), coeficiente de variação (24h-ABPM) com VPA total (MPAD, dia, -0,585, p = 0,046) e índice alfa (MPAD, dia, -0,592, p = 0,043), taxa de tempo (MAPA-24h) e delta LF/HF (MPAD, total, R = 0,636, p = 0,026; dia R = 0,857, p < 0,001). Os registros obtidos dos pacientes DH apresentaram correlações positivas fracas.

Conclusões: Os índices obtidos a partir da MAPA-24h (total, durante o dia) refletem a variabilidade da PA e da FC avaliada pela MPAD em indivíduos saudáveis, o que não se aplica a indivíduos DH. (Arq Bras Cardiol. 2018; 110(2):157-165)

Palavras-chave: Hipertensão; Diabetes Mellitus Tipo 2; Sistema Nervoso Autônomo; Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial.