Português | Inglês





Pressione Enter para iniciar a Busca.





Volume 114, Nº 2, Fevereiro 2020

   

DOI: https://doi.org/10.36660/abc.20180321

ARTIGO ORIGINAL

Insuficiência Cardíaca no Brasil Subdesenvolvido: Análise de Tendência de Dez Anos

Amanda D. F. Fernandes

Gilson C. Fernandes

Manuel Rivera Mazza

Leonardo M. Knijnik

Gustavo Soares Fernandes

Andre Telis de Vilela

Amit Badiye

Sandra V. Chaparro



Figura 1 – Tendência do número (absoluto) de internações por insuficiência cardíaca de 2008 a 2017 na Paraíba (A) e regiões do Brasil (B).

 





Resumo

Fundamento: Dados sobre a epidemiologia da insuficiência cardíaca (IC) em áreas pouco desenvolvidas são escassos.

Objetivos: Nosso objetivo foi determinar a morbidade e a mortalidade por IC na Paraíba e no Brasil, e sua tendência em dez anos.

Métodos: Realizou-se uma busca retrospectiva de 2008 a 2017 utilizando-se o banco de dados do DATASUS incluindo pacientes com idade ≥ 15 anos, com diagnóstico primário de IC. Os dados da morbimortalidade por IC foram coletados e estratificados por ano, sexo e idade. Foram realizados correlação de Pearson e teste para tendências de Mantel‑Haenzsel. Um nível de 5% foi definido como estatisticamente significativo.

Resultados: De 2008 a 2017, as internações por IC diminuíram 62% (p = 0,004) na Paraíba, e 34% (p = 0,004) no Brasil. A taxa de mortalidade hospitalar aumentou na Paraíba e no Brasil [65,1% (p = 0,006) e 30,1% (p = 0,003), respectivamente], mas a mortalidade hospitalar em números absolutos apresentou uma diminuição significativa somente na Paraíba [37,5% (p = 0,013)], o que foi mantido após a estratificação por idade, exceto para os grupos 15-19, 60-69 e > 80 anos. Observou‑se um aumento no período de internação [44% (p = 0,004) na Paraíba e 12,3% (p = 0,004) no Brasil]. De 2008 a 2015, a taxa de mortalidade por IC na população diminuiu 10,7% na Paraíba (p = 0,047) e 7,7% (p = 0,017) no Brasil.

Conclusões: Apesar de a taxa de mortalidade por IC estar diminuindo na Paraíba e no Brasil, observou-se um aumento na taxa de mortalidade hospitalar e na duração da internação por IC. Devem ser realizados estudos clínicos em hospitais para serem identificadas as causas dessa tendência de aumento. (Arq Bras Cardiol. 2020; 114(2):222-231)

Palavras-chave: Insuficiência Cardíaca/fisiopatologia; Insuficiência Cardíaca/mortalidade; Insuficiência Cardíaca/epidemiologia; Comorbidade; Insuficiência Cardíaca/tendências; Hospitalização.