Arquivos Brasileiros de Cardiologia

Português | Inglês





Pressione Enter para iniciar a Busca.





Volume 110, Nº 4, Abril 2018

   

DOI: http://www.dx.doi.org/10.5935/abc.20180044

ARTIGO ORIGINAL

Resultados Clínicos de Curto e Médio Prazo após Revascularização Coronariana Híbrida vs. Revascularização Miocárdica sem Circulação Extracorpórea: Uma Metanálise

Li Dong

Yi-kun Kang

Xiang-guang An





Resumo

Fundamento: A revascularização do miocárdio sem circulação extracorpórea (CRM sem CEC) é um dos tratamentos padrão para a doença arterial coronária (DAC), enquanto que a revascularização coronária híbrida (RCH) é uma estratégia de revascularização em evolução. No entanto, a diferença nos resultados entre eles ainda não está clara.

Objetivo: Realizamos uma metanálise para comparar os resultados a curto e médio prazo da RCH vs. a CRM sem CEC para o tratamento de DAC de múltiplos vasos ou artéria principal esquerda.

Métodos: Pesquisamos nas bases de dados PubMed, EMBASE, Web of Science e Cochrane para identificar estudos relacionados e realizamos metanálise de rotina.

Resultados: Nove estudos com 6.121 pacientes foram incluídos na análise. Não houve diferença significativa na taxa de eventos cardíacos e cerebrovasculares adversos maiores de curto prazo (ECCAM) (RR 0,55; IC95%: 0,30-1,03; p = 0,06) ou mortalidade (RR: 0,51; IC95%: 0,17-1,48; p = 0,22). A RCH requereu menos tempo de ventilação (DMP -0,36; IC95%: -0,16 -0,55; p < 0,001), tempo de UTI (DMP: -0,35; IC95%: -0,58- -0,13; p < 0,01), estadia hospitalar (DMP: -0,29; IC95%: -0,50 - -0,07, p < 0,05) e taxa de transfusão de sangue (RR 0,57; IC95% 0,49-0,67; p < 0,001), mas necessitou mais tempo de cirurgia (DMP): 1,29; IC95% 0,54-2,05; p < 0,001) e custos de hospitalização (DMP: 1,06; IC95%: 0,45-1,66; p < 0,001). O grupa RCH tinha uma taxa mais baixa de ECCAM a médio prazo (RR 0,49; IC95%: 0,26-0,92; p < 0,05), mas uma taxa mais elevada a médio prazo em revascularização de vaso-alvo (RR 2,20; IC95%: 1,32) - 3,67; p < 0,01).

Conclusões: A RCH teve mortalidade e morbidade semelhantes no curto prazo comparada ao CRM sem CEC. A RCH diminuiu o tempo de ventilação, a internação na UTI, a internação hospitalar, a taxa de transfusão de sangue e o aumento do tempo de operação e dos custos de hospitalização. A RCH tem uma taxa ECCAM mais baixa no médio prazo, enquanto a CRM sem CEC se mostra melhor em RVA a médio prazo. (Arq Bras Cardiol. 2018; 110(4):321-330)

Palavras-chave: Doença da Artéria Coronariana/cirurgia; Ponte de Artéria Coronária sem Circulação Extracorpórea; Revascularização Miocárdica/tendências; Metanálise; Bases de Dados Bibliográficas.