Arquivos Brasileiros de Cardiologia

Português | Inglês





Pressione Enter para iniciar a Busca.





Volume 110, Nº 1, Janeiro 2018

   

DOI: http://www.dx.doi.org/10.5935/abc.20170180

ARTIGO ORIGINAL

Prevalência de Dislipidemias em Três Regiões na Venezuela: Resultados do Estudo VEMSOLS

Juan P. González-Rivas

Ramfis Nieto-Martínez

Imperia Brajkovich

Eunice Ugel

Alejandro Rísquez



Figura 1 – Prevalência de dislipidemia por estado nutricional. *Diferença na prevalência de dislipidemia de acordo com o estado nutricional utilizando o Qui-quadrado (p<0,01). Triglicerídeos elevados: 150 mg/dL; HDL-c baixo: < 40 mg/dL em homens e < 50 mg/dL em mulheres; dislipidemia aterogênica: triglicerídeos = 150 mg/dL + HDL-c baixo; hipercolesterolemia: colesterol total = 240 mg/dL; LDL-c elevado: = 160 mg/dL; dislipidemia mista: triglicerídeos = 150 + colesterol total = 240 mg/dL..





Resumo

Fundamento: A prevalência de dislipidemia em várias regiões da Venezuela é desconhecida. A Síndrome Metabólica venezuelana, Obesidade e Estilo de Vida Estudo (VEMSOLS) foram realizados para avaliar os fatores de risco cardiometabólico na Venezuela.

Objetivos: Determinar a prevalência de dislipidemia em cinco populações de três regiões da Venezuela.

Métodos: Durante os anos de 2006 a 2010, 1320 indivíduos com 20 anos ou mais foram selecionados por amostragem aleatória estratificada de vários estágios de todas as famílias em cinco municípios a partir de 3 regiões da Venezuela: Estado Lara (região Oeste), Estado de Mérida (região andina) e Capital Distrito (região Capital). Medidas antropométricas e análise bioquímica foram obtidas de cada participante. Dislipidemia foi definida de acordo com as definições NCEP / ATPIII.

Resultados: Os polimorfismos da PON-1, MTHFR e ENOS não estavam em equilíbrio de Hardy-Weinberg. O genótipo DD da LPL associou-se com lesões coronarianas mais graves e extensas. O escore genético tendeu a ser maior nos pacientes com escore de Gensini < P50 (13,7 ± 1,5 vs. 13,0 ± 1,6, p = 0,066), com correlação inversa entre o escore genético e o de Gensini (R = –0,194, p = 0,078).

Resultados: A idade média foi de 44,8 ± 0,39 anos, e 68,5% eram do sexo feminino. A prevalência de lípidos anormalidades relacionadas à síndrome metabólica (HDL-c baixo [58,6%; IC95% 54,9-62,1] e triglicerídeos elevados [39,7%; 36,1-43,2]) foram as alterações lipídicas mais prevalente, seguida pela dislipidemia aterogênica ( 25,9%; 22,7-29,1), LDL-C elevado (23,3%; 20,2-26,4), hipercolesterolêmica (22,2%; 19,2-25,2), e misturar dislipidemia (8,9%; 6,8-11,0). Dislipidemia foi mais prevalente com o aumento do índice de massa corporal.

Conclusão: As dislipidemias são fatores de risco cardiometabólico prevalentes na Venezuela. Entre elas, uma maior prevalência de baixo HDL é uma condição também consistentemente relatada na América Latina. (Arq Bras Cardiol. 2018; 110(1):30-35)

Palavras-chave: Dislipidemias / epidemiologia; Doenças Cardiovasculares; Fatores de Risco; Acidente Vascular Cerebral / mortalidade; Obesidade; Síndrome Metabólica.