Publicação mensal com as mais recentes descobertas e pesquisas no campo da medicina cardiovascular.
Espaço dedicado ao envio online de artigos para a ABC.
Espaço dedicado à revisão online de artigos da ABC.
Informativo bimestral para divulgação de novidades e serviços da SBC.
Normatizações e diretrizes adotadas pela comunidade médico-científica.
Download de normatizações e diretrizes para Palmtop.
Estudos de âmbito e interesse internacional.
Relação de temas livres aprovados em congressos.
Teses de mestrado, doutorado e livre docência.
Acesso às revistas das Sociedades Estaduais e Departamentos.

História da Cardiologia

Resgatando a nossa história


Dr. Dante Pazzanese

O mestre da cardiologia brasileira de todos os tempos, Dr. Dante Pazzanese, nasceu em Morro Alto, Minas Gerais, no dia 31 de dezembro de 1900.

Aos 24 anos formou-se em medicina, pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, no mesmo ano que obteve o doutorado defendendo a tese "A anisocoria"

Pazzanese clinicou um tempo em Itapira, no interior de São Paulo. De lá, foi para a capital paulista e, em 1928, trabalhou voluntariamente como assistentena Faculdade de Medicina de São Paulo. No ano seguinte, direcionou e organizou o serviço pioneiro de eletrocardiografia dessa mesma faculdade. Até 1933, ele foi o único especialista a realizar e ministrar cursos de eletrocardiografia.

Foi o criador da Sociedade Brasileira de Cardiologia e do Serviço de Cardiologia do Hospital Municipal, onde foi realizado o primeiro curso de cardiologia de São Paulo, introduzindo a eletrocardiografia nesse mesmo estado. Ele viabilizou em 1954 o Instituto de Cardiologia do Estado de São Paulo (Icesp).


Quando o Dr. Dante era Diretor do Serviço de Cardiologia do Hospital Municipal, em 1937, casou-se com D. Anita que tinha 21 anos. 


O Dr. Dante Pazzanese estava sempre buscando novos conhecimentos e métodos baseados em novos aparelhos. Assim, dava ênfase à aspectos que depois eram reconhecidos e descritos em todo o mundo. Ele estudava cuidadosamente os aspectos sociais que as conquistas cardiológicas estavam trazendo. Havia nele uma preocupação médico-social voltada aos critérios que poderiam facilitar a melhora dessas populações. Era uma pessoa que possuía ausência de inveja e de vaidade, agregando em torno de si um excelente equipe de profissionais. Além disso, ouvia com muito interesse os trabalhos feitos pelos jovens, ressaltando o seu valor e assim permitia a evolução profissional deles.

 

 

 
Anuncie Home Equipe Fale com o Cardiol.br Adicionar aos favoritos
Ultima atualização: 28/11/2022